Estava cansado da cara do XMMS… principalmente dos botões de minimizar e fechar o aplicativo. Procurei uns skins legais e encontrei no site oficial 100 modelos. Você pode baixar um por um. Em outro sítio, encontrei um arquivo de 73MB que tem 662 modelos. Será que tem um legal? Hehehe
Se você optar no download dos 662 skins, faz-se necessário seguir os seguintes passos:
$ cd ~
$ wget http://easylinuxguide.com/downloads/xmms-skins/xmms-skins-elg.tar.gz
(Ou pode simplesmente baixar e salvar na sua pasta pessoal “/home/SUAPASTA/” dps continua com os comandos)

$ cp cp xmms-skins-elg.tar.gz ~/.xmms/Skins
$ cd ~/.xmms/Skins/
$ tar -xvzf xmms-skins-elg.tar.gz
$ rm xmms-skins-elg.tar.gz

Daí você abre o XMMS e digita Alt+S e escolhe o skin de sua preferência

Atenção::::
# = ROOT
$ = USER
ou seja, todo processo é feito como usuario normal, apenas abre o terminal, copia e cola os comandos… tentei facilitar ao maximo… qualquer dificuldade ficarei feliz em ajudar…

Primeiro de o comando: sudo apt-get update (caso não esteja como root)

em seguida: sudo apt-get install amsn

quando houver a conclusão, va até a opção internet e procure pelo icone.

 abraço

Para rodar o CS 1.6 no steam no Linux, nós vamos precisar de:

Acho que está parte todos sabem, mas:

Entre no diretório onde você baixou os pacotes do Cedega, e use o dpkg:

# dpkg -i Cedega44DEB.deb FontInstallerDEB.deb

Pronto, seu Cedega já está instalado.

Após a instalação do Cedega, vamos instalar o CS 1.6. Execute o instalador do Conter Strike (cs16full_v13.exe, nesse caso) pelo Cedega:

$ cedega cs16full_v13.exe

Faça a instalação normal e espere a cópia dos arquivos. Depois de completo é a vez do zbot.exe:

$ cedega zbot.exe

Obs.: você tem que instalá-lo no mesmo diretório que você instalou o cs16full_v13.exe.

Prontinho, agora, seu Counter Strike no steam 1.6 já está instalado e com bots.

Para abrir o jogo, entre no diretório em que você o instalou e digite:

$ cedega hl.exe -console -game cstrike -width 1024 -height 768 -bpp 32

Quando o jogo abrir pela primeira vez, vai pedir a chave do CD.

Obs.: a primeira vez que você entrar em algum mapa e adicionar os bots, ele vai ficar meio lerdo, mas é normal, pois o zbot estará criando o waypoint do mapa. Demora uns 5 minutos dependendo do seu PC.

Para adicionar bots, dentro do jogo, aperte a tecla “H” e leia as opções.

Prontinho, bom jogo pra vocês.

Baixe o arquivo no link indicado, através dele gere um disco de inicialização em Linux, este possui todas as explicações necessárias para alterar senha de qualquer usuário local e também é possível editar o registro.

Isso pode salvar o emprego de muitos!!!

http://home.eunet.no/~pnordahl/ntpasswd/cd070927.zip (2,76 MB)

Vá até a sessão de downloads e procure pelo arquivo cd070927.zip(imagem bootável de CD). 

Descompactando o arquivo e gravando o CD:

$ unzip cd070927.zip
# cdrecord -v -pad dev=0,0,0 speed=8 -eject -data cd070927.zip

NOTA: Os parâmetros do comando “cdrecord” podem variar de acordo com a sua instalação, descobrir isso é por sua conta.

Introdução

O Linux (na verdade, GNU/Linux), assim como qualquer sistema operacional moderno, é perfeitamente capaz de oferecer interação com o usuário através de gráficos, fazendo com que seja possível utilizar a maioria de seus recursos através do mouse. Porém, em dado momento, o modo gráfico pode não estar disponível, restando apenas o modo texto (para a inserção de comandos). Além disso, determinadas tarefas só podem ser executadas por comandos digitados. Para não ficar perdido em qualquer dessas situações, é necessário conhecer alguns comandos do Linux. É isso que essa matéria apresenta a seguir.Quando um terminal é acessado, uma informação aparece no campo de inserção de comandos. É importante saber interpretá-la. Para isso, veja os exemplos abaixo:
Exemplo 1: [root@tonolinux /root]#

Exemplo 2: [root@kuruminbranco /]$

Observação: dependendo de sua distribuição e de seu shell, a linha de comandos pode ter um formato ligeiramente diferente do que é mostrado nos exemplos. No Ubuntu Linux, por exemplo, o segundo exemplo fica na seguinte forma:

root@kuruminbranco: ~$

Nos exemplos, a palavra existente antes do símbolo @ diz qual o nome do usuário que está usando o terminal (lembre-se de que no Linux é necessário ter um usuário para utilizar o sistema). Os nomes que aparecem depois do @ indicam o computador que está sendo acessado seguido do diretório.

O caractere que aparece no final indica qual o poder do usuário. Se o símbolo for #, significa que usuário tem poderes de administrador (root). Por outro lado, se o símbolo for $, significa que este é um usuário comum, incapaz de acessar todos os recursos que um administrador acessa. Independente de qual seja, é depois do caractere que o usuário pode digitar os comandos.

Os comandos básicos do Linux

Agora que você já sabe como agir em um terminal, vamos aos comandos do Linux mais comuns. Para utilizá-los, basta digitá-los e pressionar a tecla Enter de seu teclado. É importante frisar que, dependendo de sua distribuição Linux, um ou outro comando pode estar indisponível. Além disso, alguns comandos só podem ser executados por usuários com privilégios de administrador.

A relação a seguir mostra os comandos seguidos de uma descrição:

cal: exibe um calendário;

cat arquivo: mostra o conteúdo de um arquivo.

cd diretório: abre um diretório. Por exemplo, para abrir a pasta /mnt, basta digitar cd /mnt. Para ir ao diretório raiz a partir de qualquer outro, digite apenas cd;

chmod: comando para alterar as permissões de arquivos e diretórios.

clear: elimina todo o conteúdo visível, deixando a linha de comando no topo, como se o sistema acabasse de ter sido acessado;

cp origem destino: copia um arquivo ou diretório para outro local.

date: mostra a data e a hora atual;

df: mostra as partições usadas;

diff arquivo1 arquivo2: indica as diferenças entre dois arquivos, por exemplo: diff calc.c calc2.c;

du diretório: mostra o tamanho de um diretório;

emacs: abre o editor de textos emacs;

file arquivo: mostra informações de um arquivo;

find diretório parâmetro termo: o comando find serve para localizar informações. Para isso, deve-se digitar o comando seguido do diretório da pesquisa mais um parâmetro (ver lista abaixo) e o termo da busca. Parâmetros:

name – busca por nome
type – busca por tipo
size – busca pelo tamanho do arquivo
mtime – busca por data de modificação

Exemplo: find /home name tristania

finger usuário: exibe informações sobre o usuário indicado;

free: mostra a quantidade de memória RAM disponível;

halt: desliga o computador;

history: mostra os últimos comandos inseridos;

id usuário: mostra qual o número de identificação do usuário especificado no sistema;

kill: encerra processados em andamento;

ls: lista os arquivos e diretórios da pasta atual;

lpr arquivo: imprime o arquivo especificado;

lpq: mostra o status da fila de impressão;

lprm: remove trabalhos da fila de impressão;

lynx: abre o navegador de internet de mesmo nome;

mv origem destino: tem a mesma função do comando cp, só que ao invés de copiar, move o arquivo ou o diretório para o destino especificado;

mkdir diretório: cria um diretório;

passwd: altera sua senha. Para um administrador mudar a senha de um usuário, basta digitar passwd seguido do nome deste;

ps: mostra os processos em execução;

pwd: mostra o diretório em que você está;

reboot: reinicia o sistema imediatamente (pouco recomendável, preferível shutdown -r now);

rm arquivo: apaga o arquivo especificado;

rmdir diretório: apaga o diretório especificado, desde que vazio;

shutdown: desliga ou reinicia o computador, veja:
shutdown -r now: reinicia o computador
shutdown -h now: desliga o computador

O parâmetro now pode ser mudado. Por exemplo: digite shutdown -r +10 e o sistema irá reiniciar daqui a 10 minutos;

su: passa para o usuário administrador, isto é, root (perceba que o símbolo $ mudará para #);

tar -xzvf arquivo.tar.gz: extrai um arquivo compactado em tar.gz;

telnet: ativa o serviço de Telnet em uma máquina. Para acessar esse computador a partir de outros por Telnet, basta digitar telnet nomedamáquina ou telnet IP. Por exemplo: telnet 192.168.0.10. Após abrir o Telnet, digite help para conhecer suas funções;

top: exibe a lista dos processos, conforme os recursos de memória consumidos;

uname: mostra informações do sistema operacional e do computador. Digite uname -a para obter mais detalhes;

Todo o conteúdo do primeiro ano da Linux Magazine já pode ser baixado diretamente do site, sem necessidade de cadastro ou qualquer outro tipo de exigência. São mais de 800 páginas de conteúdo técnico e corporativo, que abordam todo o universo do SL/CA.

VoIP, bancos de dados, programação, administração de sistemas e redes, segurança, virtualização, entre outros temas, são abordados em profundidade ao longo do material.

Além dessa liberação em massa, 30% do conteúdo das revistas recentes e da edição vigente está disponível para download. As matérias fechadas podem ser compradas separadamente e as revistas completas podem ser adquiridas tanto sob a forma de documentos PDF, quanto no tradicional formato impresso.

Para baixar os PDFs, basta acessar as revistas por meio do link http://www.linuxnewmedia.com.br/lm/past_issues

Também é possível encontrar as matérias separadas por seção da revista, dispostas no menu à esquerda do site.

Fonte: NoticiasLinux.com.br 

O Site da Comunidade está em construção.

Mais breve vai ter muita novidade e ajuda sobre linux e notícias de tecnologia em geral.

Espero que tenha gostado da idéia de criar uma comundade para unir todos usuários de linux de Tocantins.

Bem por enquanto é só…

Até a próxima!