Olá pessoal, a tempos tive evitando de usar o SQUID 3 por acha que fosse mais complexo, mais era besteira, o squid3 está mais fácil do que nunca.

Tive a necessidade de trabalhar com o módulo ARP ( mac address), e algumas versões do squid já vem com o módulo habilitado, que é o caso das versões 2.7 e 3.0 stable18-1, essas duas versões eu testei, outras versões você pode usar o comando   squid -v e verificar se o módulo está ativo --enable-arp-acl

Vou posta em anexo uma configuração que fiz, a parte dessa você pode altera de acordo com as necessidades.

A versão do SQUID3 que usei foi SQUID 3 STABLE18-1, essa versão já vem por padrão no Ubuntu Karmic, no qual estou usando no momento.

Logo abaixo você pode fazer o download do arquivo de configuração.

AQUI – Download do arquivo de configuração

Baixe o Real Player. http://www.real.com/linux/

Para instalar vamos fazer o seguinte.

Abra o terminal,digite:

sudo su

Digite a senha

Depois vá até o diretório em que você baixou.

Quando vc entra no terminal você entra na pasta /home/[seuusuario]/ .

Se voce salvou no Desktop, acesse-o dando um

cd Desktop

Se quiser voltar ao /home/[seuusuario]/,dê um:

cd ..

Para listar as coisas dentro do diretório:

ls

Depois instale:

chmod a+x RealPlayer10GOLD.bin

E depois:

./RealPlayer10GOLD.bin

Ele vai pedir umas confirmações, e so e dando ENTER

O Real Player está instalado D

Mas o problema é que na maioria das vezes o vídeo fica lento.

Então temos que instalar o Kaffeine.

Instale via Synaptic ou de o comando

sudo apt-get install -y kaffeine

Após instalado é só assistir .

Atualizar o sistema operacional sempre foi um paradigma para muitos usuários, principalmente os iniciantes. Chances de erros, pacotes quebrados, X que não inicia, programas que não abrem mais, são motivos pelos quais muitos usuários recomendam uma instalação limpa, do “zero”. Porém, para outros, a atualização é uma forma de economia de tempo com uma reinstalação do sistema e personalizações, além de manter toda a configuração que o usuário tinha antes.

Obviamente, a melhor forma de se obter um sistema 100% “redondo” e saudável é realmente partindo de uma nova instalação, pois assim nenhum arquivo antigo poderá interferir no funcionamento dos programas. Mesmo sabendo disso, esse artigo ensina a atualizar o sistema de forma que se evite ao máximo a possibilidade de haver algum erro ou quebra de pacotes.

Analisando a maioria dos computadores de amigos que atualizo, observo que o principal fator que ocasiona a quebra de pacotes no sistema é a adição de repositórios que não seguem à risca as regras dos pacotes oficiais do Ubuntu, ou seja, a maioria os repositórios não-oficiais.

Agora você pode se perguntar: porque não posso fazer tudo isso simplesmente colocando o CD e pedindo para o instalador automaticamente atualizar? Você pode fazer isso, porém, a chance de erros será maior. O computador é, digamos “burro”, e quanto maior a interação homem-máquina, melhor será a depuração do que está ocorrendo, e maior a chance de corrigir erros.

Leia mais…

Fonte: http://www.guiadohardware.net

Olá galera do TO no Linux,

navegando pelos meus RSS vi um site que disponibiliza um serviço para enviar mensagens SMS para mais de 30 países, inclusive o Brasil.

Para mandar os torpedos você precisa se cadastrar no site Jaxtr.

Após o cadastro, faça o logon no Jaxtr e do lado direito da tela você verá o formulário para mandar o torpedo.

Usem e abusem!
Um abraço a todos e até a próxima.

Lemuel Roberto

Imagine a seguinte situação

Trabalhando em uma empresa de biotecnologia seu chefe precisa fazer um sequenciamento de alguma coisa muito complicada, que requer muito processamento e a melhor máquina da empresa levaria para processar toda a tarefa cerca de 3 meses.E agora? Simples, vamos utilizar um solução de grid para usar todos os PCs da empresa para fazer o processamento utilizando um ferramenta GRID ourgrid. 

Legal, mas os funcionários desligam as suas máquinas ao sair. É aí que o WoL entra em ação, basta colocar um script simples no servidor para iniciar todos os PCs da sua rede.

 
 Sistemas utilizados:
  • Servidor: Slackware, kernel 2.6.13;
  • Cliente: Slackware, kernel 2.6.11.

No cliente:

1. Ative o WoL no setup (BIOS).

2. Como root, configure sua placa de rede:
# ethtool -s ethX wol g
Utilize o “man” para ver qual argumento você utilizará, por exemplo: “g Wake on MagicPacket”.
PS: Com o comando ethtool é possível colocar senha no wake.

No servidor:

Baixe e compile o ether-wake.c: $ wget ftp://ftp.scyld.com/pub/diag/ether-wake.c
$ gcc ether-wake.c

Renomeie o binário gerado de a.out para wakeup:

$ mv a.out wakeup

Pronto, para testar basta recuperar o MAC da placa de rede do cliente com o comando:

$ /sbin/ifconfig

Com o cliente desligado, basta fazer:

$ wake xx:yy:zz:aa:bb:cc

Claro, substituindo xx:ya… pelo MAC da placa de rede do cliente.

Depois disso seu cliente irá iniciar.

Fonte: Viva o linux

 

Kurumin Branco

Inicie o Linux através de um CD LIVE, abra um terminal e digite:# grub

agora é preciso saber de onde o GRUB faz o Boot, então digite:

find /boot/grub/stage1

O resultado deste comando deverá ser qualquer coisa do tipo: (hda2).
Depois de ter obtido esta informação, basta informar ao GRUB, então
digite:

root (hda2)
setup (hda)

feito isso é só sair do GRUB digitando quit e reinciar a maquina, após
a maquina reiniciar o GRUB vai estar de volta no lugar dele.

                                                KURUMIN BRANCO

Introdução

Há 1 ano tenho um Cyber Café movido a Linux, e tenho trabalhado muito tempo com o gerenciador Zeiberbude para controlar o tempo e o custo, mesmo sabendo que ele não possui recursos que deveria ter implementado. Como na busca há vários gerenciadores além daqueles poucos que citei nesta dica, decidi experimentar o Cafe Con Leche por causa de sua interface bonita. Sinceramente, de acordo com meus testes, garanto que o Cafe Con Leche é 100 vezes melhor que o Zeiberbude.

Lembrando que neste artigo foram utilizadas duas distros para a instalação e configuração do Cafe Con Leche: Ubuntu 7.04 e OpenSuSE 10.2. Atualmente, meu servidor é o OpenSuSE 10.2 e as estações Ubuntu 7.04.

No Zeiberbude trabalhava com IP Fixo, e era necessário adicionar as informações no gerenciador para que as máquinas clientes funcionassem corretamente, mas no Cafe Con Leche não precisa de absolutamente nada disso.

Passaremos para a próxima página onde iremos instalar o Cafe Con Leche primeiramente no Ubuntu 7.04. Não testei no Ubuntu 7.10, mas creio que deve funcionar sem problemas seguindo os mesmos passos.

Instalando no Ubuntu 7.04

Abra um terminal como root e digite os seguinte comandos:

# apt-get update
# apt-get install sqlite3 libsqlite3-dev libfox1.4-dev libglib2.0-dev libssl-dev build-essential -y

Após a instalação de suas dependências, baixe os pacotes do server:

# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/libccls-0.7.0.tar.bz2
# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/cclfox-0.7.0.tar.bz2

Descompacte, mova o pacote libccls-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf libccls-0.7.0.tar.bz2
# mv libccls-0.7.0 /usr
# cd /usr/libccls-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Descompacte, mova o pacote cclfox-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf cclfox-0.7.0.tar.bz2
# mv cclfox-0.7.0 /usr
# cd /usr/cclfox-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Instalação do Cafe Con Leche server finalizada, mas ainda não foi configurada.

Instalando no OpenSuSE 10.2

No meu caso, os pacotes de desenvolvimento já foi instalado durante a instalação da distro (g++, make, cpp, etc). Você deve checar qual erro ocorrer durante a instalação do Cafe Con Leche, pois não sei se durante a instalação de sua distro OpenSuSE 10.2 você marcou a opção que instala os pacotes de desenvolvimento.

Primeiro, baixe o pacote abaixo:

# wget -c http://ftp.gnome.org/pub/gnome/sources/glib/2.12/glib-2.12.12.tar.bz2

Descompacte-o e instale com o seguinte comando:

# tar xvf glib-2.12.12.tar.bz2
# cd glib-2.12.12
# ./configure
# make
# make install

Agora baixe o pacote abaixo:

# wget -c http://www.fox-toolkit.org/ftp/fox-1.4.35.tar.gz

Descompacte-o e instale com os seguintes comandos:

# tar -zxf fox-1.4.35.tar.gz
# cd fox-1.4.35
# ./configure
# make

Após a instalação de suas dependências, baixe os pacotes do server:

# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/libccls-0.7.0.tar.bz2
# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/cclfox-0.7.0.tar.bz2

Descompacte, mova o pacote libccls-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf libccls-0.7.0.tar.bz2
# mv libccls-0.7.0 /usr
# cd /usr/libccls-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Descompacte, mova o pacote cclfox-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf cclfox-0.7.0.tar.bz2
# mv cclfox-0.7.0 /usr
# cd /usr/cclfox-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Instalação do Cafe Con Leche server finalizada, mas ainda não foi configurada.

Instalando e configurando os clientes

Levo em conta que a instalação dos clientes foi realizada no Ubuntu 7.04. Portanto, basta instalar os mesmos pacotes do server.

# apt-get update
# apt-get install sqlite3 libsqlite3-dev libfox1.4-dev libglib2.0-dev libssl-dev build-essential -y

Em seguida, baixe os pacotes do cliente:

# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/libcclc-0.7.0.tar.bz2
# wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/ccl/cclcfox-0.7.0.tar.bz2

Descompacte, mova o pacote libcclc-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf libcclc-0.7.0.tar.bz2
# mv libcclc-0.7.0 /usr
# cd /usr/libcclc-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Descompacte, mova o pacote cclcfox-0.7.0 e instale-o com os seguintes comandos:

# tar xvf cclcfox-0.7.0.tar.bz2
# mv cclcfox-0.7.0 /usr
# cd /usr/cclcfox-0.7.0
# ./configure
# make
# make install

Configurando as libs de ambas as distros

Temos que indicar o caminho das libs para que o Cafe Con Leche possa funcionar corretamente. Abra num editor de texto qualquer, como root, e digite o comando seguinte (Lembrando que o editor utilizado foi o Pico):

# pico /etc/ld.so.conf

Verifique se na sua distro possui as seguintes entradas, e caso não possuir, adicione-as:

/usr/lib
/usr/local/lib

Em seguida, salve o arquivo e digite o seguinte comando para atualizá-la, mesmo tendo adicionadas ou não os caminhos das libs no arquivo /etc/ld.so.conf.

# ldconfig

Abra o Cafe Con Leche Server com o seguinte comando, como usuário normal mesmo:

$ cclfox -nossl

Abra o Cafe Con Leche Cliente com o seguinte comando, como usuário normal mesmo:

$ cclcfox -host 192.168.0.1 -name Micro-1 -nossl

(Troque apenas o IP do seu servidor e dê um nome qualquer à estação. No meu caso, o IP do servidor é 192.168.0.1 e dei o nome da estação de Micro-1)

 

Configurando o Shutdown e Reboot

Quando você clicar com o botão direito para mandar desligar (Turn off) ou reiniciar (Reboot) nada ocorre com as estações. Quando fui ao micro-1 verificar pelo terminal a causa do não desligamento ou reinicialização, acusava dizendo que só o root possui permissão. Para solucionar este problema, digite os seguintes comandos em cada estação como root para alterar as permissões:

# chmod -cv 7755 /sbin/shutdown
# chmod -cv 7755 /sbin/reboot

Agora você poderá desligar e/ou reiniciar as estações no próprio servidor Cafe Con Leche.

                                                 

                                                 KURUMIN BRANCO

 

Olá galera do TO no Linux,

Navegando pela net achei um tutorial em vídeo de como fazer uma capa para CD e/ou DVD sem gastar muitos recursos e em pouco tempo.

O primeiro link é da versão real com duração de 08:37 minutos: Versão lenta

Este segundo link é o mesmo tutorial, mas com duração de 04:18 minutos: Versão rápida

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=WTWQSs5_9oQ&hl=en]

Espero que tenham gostado.

Fiquem com Deus. Até a próxima.

Se você já pesquisou e não conseguiu instalar sua impressora no Slackware, você encontrou a solução para seus problemas:

1) Vamos instalar o pacote CUPS. Digite isto no terminal de sua preferência:

# wget ftp://ftp.slackware-brasil.com.br/slackware-12.0/patches/packages/cups-1.3.7-i486-1_slack12.0.tgz

2) Vamos instalar o pacote com os drivers das Impressoras HP digitando isto no terminal:

# wget http://ftp.ist.utl.pt/pub/slackware/slackware-10.0/slackware/ap/hpijs-1.6-i486-1.tgz && installpkg hpijs-1.6-i486-1.tgz

3) Vamos iniciar o serviço do CUPS caso ele não esteja rodando, digitando isto no terminal: && installpkg cups-1.2.11-i486-2_slack12.0.tgz

# chmod +x /etc/rc.d/rc.cups && /etc/rc.d/rc.cups start

4) Vamos atualizar a Base de Dados digitando isto no terminal:

# updatedb

5) Vamos atualizar as Libs do sistema digitando isto no terminal:

# ldconfig

6) Abra o Mozilla Firefox ou o navegador de sua preferência e digite isto na barra de navegação:

http://localhost:631

7) Vamos adicionar a impressora:

OBS: Se pedir usuário e senha em algum dos passos, use o logon e a senha do usuário root

7.1) Clique na aba “Administration” depois em “Add Printer”.

7.2) Coloque o nome que você desejar sem conter espaços ou “/” ou “#” e clique em “Continue”.

7.3) Selecione o “Device”, no meu caso eu selecionei “HP Deskjet”, e clique em “Continue”.

7.4) Selecione o modelo da sua impressora e clique em “Add Printer”. Ou baixe o PPD em e selecione-o e dê um clique em “Add Printer”.

Pronto. Sua impressora está instalada.

Primeiro abra o terminal e clique em editar-Perfis:


Clique na imagem para amplia-la!

Depois clique em novo:

Escolha um nome para o perfil e clique em criar:

Após criar o perfil, vá em Efeitos, marque fundo transparente e escolha a porcentagem de transparência.

Clique na imagem para amplia-la!

Gostou?
Achou fácil né?
heehehhe também Achei xc)

Então até a próxima….