Atualizar o sistema operacional sempre foi um paradigma para muitos usuários, principalmente os iniciantes. Chances de erros, pacotes quebrados, X que não inicia, programas que não abrem mais, são motivos pelos quais muitos usuários recomendam uma instalação limpa, do “zero”. Porém, para outros, a atualização é uma forma de economia de tempo com uma reinstalação do sistema e personalizações, além de manter toda a configuração que o usuário tinha antes.

Obviamente, a melhor forma de se obter um sistema 100% “redondo” e saudável é realmente partindo de uma nova instalação, pois assim nenhum arquivo antigo poderá interferir no funcionamento dos programas. Mesmo sabendo disso, esse artigo ensina a atualizar o sistema de forma que se evite ao máximo a possibilidade de haver algum erro ou quebra de pacotes.

Analisando a maioria dos computadores de amigos que atualizo, observo que o principal fator que ocasiona a quebra de pacotes no sistema é a adição de repositórios que não seguem à risca as regras dos pacotes oficiais do Ubuntu, ou seja, a maioria os repositórios não-oficiais.

Agora você pode se perguntar: porque não posso fazer tudo isso simplesmente colocando o CD e pedindo para o instalador automaticamente atualizar? Você pode fazer isso, porém, a chance de erros será maior. O computador é, digamos “burro”, e quanto maior a interação homem-máquina, melhor será a depuração do que está ocorrendo, e maior a chance de corrigir erros.

Leia mais…

Fonte: http://www.guiadohardware.net